DEDÉ, O MITO

Dizer que o campeonato brasileiro deste ano é o melhor de todos os tempos é querer subestimar a inteligência do torcedor que assiste, atordoado, a maior gangorra de todos as competições oficiais, desde 1971. Por pontos corridos ou não. Não pela qualidade dos times, dos atletas, da organização. É verdade que, com a volta de alguns bons jogadores a qualidade técnica melhorou, mais nada. Diria que há um nivelamento por baixo. Sem essa idiotice de “maior campeonato do mundo”. Chega de palhaçada.

Também é verdade que todos aqueles que retornaram ao futebol brasileiro não estavam mais em grande evidência, em qualquer lugar do planeta. Mesmo Renato, em grande fase no Botafogo, responsável pelo bom entrosamento do time, não era mais o mesmo jogador que encantou os espanhóis e a torcida do Sevilha, nos primeiros anos jogando no atual país do futebol. Andou freqüentando o banco de reservas. É um grande jogador, sem dúvida, merece o destaque que tem recebido.

Juninho Pernambucano, o melhor de todos os repatriados, arrumou o time do Vasco, com a sua qualidade técnica, personalidade e liderança dentro e fora de campo. É craque, elevou o nível técnico geral e é um dos responsáveis pela grande ascensão do time ora dirigido por Cristovão Borges, que mostrou competência ao substituir Ricardo Gomes. O Vasco é um dos candidatos ao título, mas um time comum, sem nenhuma atração a não ser um bom conjunto e excelente preparo físico, aliado ao clima de tranqüilidade do grupo.

Adriano, voltou mais uma vez da Itália e chegou com problemas de peso e sem condições de jogo. Demorou a entrar em campo, mas em boa hora poderá ajudar o Corinthians na reta final. Luis Fabiano retornou mais cedo e pode ser importante na caminhada do São Paulo rumo ao hepta.  Rafael Sobis e Deco foram reforços importantes para o Fluminense, e Alex começa a se destacar no Corinthians que, jogando completo é o mais sério candidato ao título.

Ronaldinho Gaucho é o grande destaque da mídia, que tem visto no ex-jogador do Grêmio a grande estrela do campeonato. Um exagero, convenhamos.  Esse rapaz tem jogado a metade do futebol apresentado no Barcelona e na seleção brasileira, quando estava em forma. Tem jogado o bastante para se destacar, é verdade, numa competição de nível inferior ao que se poderia exigir do país cinco vezes campeão do mundo. É craque, sim, mas foi liberado por não estar rendendo o que se esperava dele, por seu potencial indiscutível.

Entendo que a televisão tem que valorizar o seu produto futebol.  Os jornais precisam vender, faz parte do negócio encher a bola, criar novos ídolos, destacar manchetes mirabolantes. Vivem disso. As rádios fazem transmissão de copa do mundo. Está no sangue dos locutores, repórteres e comentaristas. Tudo isso é compreensível, não há como ser diferente. Os torcedores precisam disso, querem ver o seu time ganhando, novos ídolos surgindo, etc. Mais que compreensível.

Mas nem tudo pode ser encarado assim. Há, na imprensa, um exagero descabido, absurdo, inconcebível. Ou sei lá como definir.  Não há como entender a classificação de Mito, dado ao zagueiro Dedé, do Vasco, um bom jogador, na média dos que atuam no Brasil, inferior, como Já publiquei aqui no blog, a pelo menos vinte e cinco jogadores que vi atuar, da década de 1970 até os dias de hoje. Entres outros sinônimos de mito estão “lenda” e “monstro sagrado”, adjetivos que definem  Alfredo Di Stéfano, Pelé, Beckenbauer, Cruijff, Maradona e outros que fizeram história para merecer o “título”.

Nada contra o bom futebol de Dedé, a quem tinha visto fazer boas partidas, quando jogava no Volta Redonda. Tem qualidades, sim. É um bom jogador, de ótimos recursos, boas valências físicas, onde se destaca a impulsão, enfim, uma promissora carreira. Penso até que esse exagero pode prejudicá-lo. Gosto do seu futebol, dentro desses parâmetros. Torço por ele, espero que conquiste seu lugar no Vasco e na seleção da CBF. Mas muito longe de ser comparado a um mito. Falta muita estrada e vai depender dele, daqui a alguns anos, merecer esse adjetivo. Por ora, chamá-lo de mito soa ridículo. Não para ele.

7 thoughts on “DEDÉ, O MITO

  1. Boa Tarde. Deve haver alguma explicação o fato de ninguém acessar o seu blog ou sequer fazer um único comentário. Por que ninguém tem admiração pelo seu trabalho? Gostaria de tentar ajudá-lo a desvendar esse mistério.
    Abraço

  2. Caro Lucas.
    Não tenho que reclamar sobre os acessos ao blog. Tem sido satisfatório, visto que não busco quantidade, mas contato com pessoas que acompanham meu trabalho. Mais que isso, busco expor minhas idéias e observações sobre assuntos ligados ao futebol. Ou não. Não acredito que haja um mistério, mas se você descobrir ajude-me a desvendá-lo. Mais importante que isso são os comentários como o seu, que apontam para a certeza do dever cumprido. Grande abraço. Iata Anderson

  3. Acho que o senhor Iata escreve sobre o Dedé sem ver um mísero jogo dele. Diz que é um bom jogador, mas acho que só o observou quando ele era do Volta Redonda. estamos falando de Vasco da Gama, um dos maiores clubes do futebol mundial, onde proporcionou a este atleta uma grande evolução técnica e física. Falar que o futebol brasileira se nivela por baixo e mostrar entre tudo, falta de conhecimento, pois onde tem futebol em alta? Na Espanha onde só tem 2 clubes, Itália ? onde também tem 2 ou no máximo 3 clubes. Estamos nivelados sim, mas não vejo que seja por baixo. O vasco por exemplo, está cheio de bons jogadores, como Diego Souza, Felipe, Juninho, o Bernardo que já mostrou ter qualidades, além obviamente do Déde “O Mito” Que o senhor IATA persiste em achar um jogador “normal”. Assim como o vasco, diversos clubes tem em seu elenco bons jogadores e jogadores acima da média; tais como Santos, Fluminense, Botafogo, Etc… Lá fora o que se vê é um Barcelona dando passeio em cima de um monte de clubes sem tradição, sem elenco e hoje sem dinheiro. Clubes que não conseguiriam disputar um campeonato de série B do nosso país. DEDÉ é sem sobra de dúvidas um zagueiro daqueles que dá gosto de ver jogar. Por isso senhor IATA, Veja os jogos do vasco antes de comentar sobre O MITO.

  4. CARA, TENHO 15 ANOS E MINHA MAIOR INSPIRAÇÃO É VER O DEDÉ JOGAR, O CARA É PERFEITO O MELHOR ZAGUEIRO QUE JÁ VI. POSSO SER NOVO MAS ENTENDO DE FUTEBOL MAIS QUE O SENHOR PELO VISTO KKK’ RATÃO. DEDÉ É DEMAIS, NÃO DEIXOU O NEYMAR JOGA EM NENHUMA PARTIDA CONTRA O VASCO, E AINDA SIM DERAM O PREMIO DE MELHOR DO ANO PRO RATO DO NEYMAR. O CARA JOGO, JOGA E SEMPRE VAI JOGA MUUUUUUUITO E VC É BURRO E SE ACHA UM SÁBIO CRITICO, VC É BURRO E NÃO CRITICO. VELHO BURRO. COM TODO RESPEITO xD

  5. Jovem Luketa,

    Foi com profunda tristeza que li seu e-mail. Eu que tinha tanta esperança de ver um país melhor, estou chocado com seu texto. Penso que você tem todo o direito de cultuar seus ídolos, como faço até hoje. Tenho idade para ser seu pai ou avô, o que me doi mais ainda. Continue cultuando seus ídolos, isso é saudável, mas respeite os mais velhos. Um dia você será um deles. Não pense que você me “zoou”, “tirou onda” comigo, você é muito novo para isso, tem muito que aprender com a vida. Espero que você mude e passe a respeitar as pessoas, independente da idade. Pena que você não vai entender essa mensagem, mas seja um “homenzinho” e mostre aos seus país. Eles vão puxar sua orelha.

    Seja feliz
    Iata Anderson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *